Como sair sozinha com seus filhos!

Tempo de leitura: 2 minutos

Desde que José nasceu, evito sair sozinha com os dois. Não porque não dou conta, mas porque dois filhos dão aquele trabalho que vocês podem imaginar (hahahaha)! Acontece que eu tenho marido músico, que toca quase todos os finais de semana. Então, aos sábados, quase sempre estou sozinha com os pequenos.

Já criei uma série de brincadeiras e atividades dentro de casa para entreter os filhotes. Poderia enumerar uma série delas para vocês (fica para outro post =)), mas o que eu quero falar mesmo é sobre a importância de sairmos da bolha!

É realmente mais confortável ficar em casa com duas crianças, mas é tão bom sair também. Estou, aos poucos, me propondo a viver mais esses momentos com eles, ainda mais depois que José começou a andar. Cada dia que passa tenho me sentido mais e mais segura para encarar programas variados e fora de casa! Eis aqui, o que eu costumo fazer para conseguir esse grande feito!

Seja prática!

Parece que com o segundo filho nasce uma praticidade impressionante! Consigo em uma só mochila – relativamente pequena – levar tudo para os dois. Manu também não usa mais fralda, isso diminui a bagagem. A questão é levar o que é realmente necessário e não aquelas milhares de coisas que nós achamos fundamentais! Eu já levei até bomba de leite para a padaria (hahahahahahaha) quando os meninos eram pequenininhos! Nem um pouco exagerada!

Vá a lugares conhecidos ou indicados!

Esse é um ponto importante! Vou para lugares com pessoas conhecidas que possam, eventualmente, dar uma força em algum momento crítico – como por exemplo, quando Manu quer fazer cocô enquanto José está comendo uma banana! Momento em que é bom ter alguém para dar um help.

Ir para lugares que você já conhece e que tenham alguma mínima estrutura para crianças é tudo de bom também. Tento permanecer mais próxima de casa, no caso de alguma emergência (nunca aconteceu, mas vai saber).

Manu e José se jogando no aniversário de um grande amigo!

Confie em você!

Esse, talvez, é o ponto mais importante. Fui me fortalecendo aos poucos e me desafiando a fazer diferentes opções de programas com as crianças. Comecei a frequentar a casa de outras mães com filhos, ir para lugares com bastante atividades infantis, lúdicas e relevantes.

Parece uma bobagem falar sobre isso, mas não é não. A gente se subestima muito e, muitas vezes, nos sentimos incapazes de fazer atividades cotidianas que nos fazem muito bem. Por isso: tente literalmente “sair da casinha”. Faz um bem danado para nós E para os filhos, que criam outros laços além daqueles educativos do dia a dia. Criamos vínculos de companheirismo, confiança e independência!

Meus pintinhos…soltos por aí!

Tente você também!

Um beijo e até mais!

Com carinho,

Lu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *